Durante um ciclo menstrual comum da mulher, existe um período de dias nos quais a relação sexual tem grande probabilidade de resultar em gravidez,. Este período é chamado de Período Fértil.

O ciclo menstrual tem início no primeiro dia da menstruação e, na sua primeira fase, ocorre uma produção exclusiva de estrogénio pelo ovário que logo após a ovulação dá início a fase de produção de progesterona, conhecida também como fase lútea. Esta fase do ciclo é fixa e a ovulação ocorre cerca de 14 dias antes do início da próxima menstruação.

O tempo de vida do óvulo dentro das trompas, após a ovulação, não é bem definido, mas parece estar entre 12 e 24 horas. Já os espermatozóides têm uma vida maior, variando de 24 até 48 horas (há quem defenda as 96h). Por isso os dias férteis começam antes mesmo da ovulação.

Alguns sinais fisiológicos são indicativos da ocorrência da ovulação, dentre eles podemos citar a dor pélvica que ocorre em algumas mulheres, provocada pela distensão excessiva do folículo que envolve o óvulo, na hora da eliminação do mesmo.

Outro sinal sugestivo de já ter ocorrido a ovulação é a mudança da temperatura basal do corpo da mulher. Isto ocorre devido a progesterona que promove uma elevação de cerca de 0,2 – 0,6ºC da temperatura. Esta elevação pode ser precedida por uma leve queda, que corresponde ao pico de estrogênio, que ocorre pouco antes da ovulação.

Por fim, outra característica que pode ser avaliada é a mudança do aspecto do muco cervical (secreção que sai na vagina). Após a ovulação, a progesterona faz com que o muco seja produzido em pequena quantidade, sendo espesso e viscoso, devido à grande quantidade de células e a pouca quantidade de líquidos. À medida que aumenta a produção de estrogénio, o conteúdo de água e sódio desse muco se eleva progressivamente, atingindo o ápice no pico de estrogénio pré-ovulatório, então esse muco se torna então volumoso, transparente e com pouca quantidade de células. Esse tipo de muco cervical é altamente permeável aos espermatozóides, facilitando a sua ascensão ao interior do útero. Posteriormente, quando a progesterona começa a ser produzida após a ovulação, o muco se torna novamente espesso e fica impermeável aos espermatozóides.

Com o objetivo de providenciar estimativas mais específicas dos dias férteis da mulher, um grupo de pesquisadores norte-americanos, liderados pelo Dr. Allen J Wilcox (do Epidemiology Branch, National Institute of Enviromental Health Sciences, Durham, USA), desenvolveram um estudo, no qual eles acompanharam um grupo de mulheres e tentaram estabelecer seus dias férteis.

Os autores acompanharam 213 mulheres saudáveis, que desejavam ter filhos e haviam parado o uso de métodos anticoncepcionais. Todas as participantes não tinham relato de infertilidade. A idade das pacientes variava de 25 a 35 anos. Dois terços destas não tinham filhos. Todas foram questionadas quanto à regularidade e duração do ciclo menstrual. As pacientes faziam uma coleta diária da primeira urina da manhã e relatavam os dias em que tinham relação sexual e em que menstruavam. Durante o tempo de acompanhamento, 62% das mulheres engravidaram.

O dia da ovulação foi estimado através da mudança da concentração urinária de metabólitos do estrogênio. No total foram analisadas 696 ovulações. A janela fértil foi considerada como os cinco dias precedentes e o próprio dia da ovulação.

De acordo com o Dr. Allen, foram encontrados ciclos com ovulações variando do oitavo até o sexagésimo dia do ciclo. Sendo que 2% das mulheres apresentaram ovulação no quarto dia do ciclo e 17% no décimo sétimo dia. Mas o pico de ovulações ocorreu entre o 12º e 13º dia do ciclo, com 54% das mulheres pertencentes a esse grupo. Portanto quanto maior o ciclo mais tarde foi a ovulação e, consequentemente, o período fértil. A duração dos ciclos variou entre 19 e 60 dias, mas a maioria das mulheres apresentou ciclos com cerca de 28 dias. De modo geral, os ciclos curtos apresentaram ovulações mais precoces e os mais longos apresentaram ovulações tardias.

Cerca de 16% das participantes relataram ciclos irregulares. Durante o estudo estas pacientes apresentaram, geralmente, ovulações cada vez mais atrasadas, o que fez com que seus dias férteis se estendessem mais ao longo de cada ciclo.

Os autores estimaram que as mulheres apresentam apenas 1% de chances de estarem em sua janela fértil já no segundo dia do ciclo (2º dia de menstruação). Porém, isto muda rapidamente durante a segunda semana do ciclo, visto que mais da metade das mulheres estarão nos seus dias férteis entre o 13º e o 14º dia do ciclo. Eles ressaltaram o fato que o atraso de ovulação ocorreu em boa parte das mulheres, com diferentes durações dos ciclos.

Os autores notaram que em mulheres com ciclos de 28 dias, a janela fértil poderia estar entre o 10º e 17º dia do ciclo. Sendo que apenas 10% dessas pacientes apresentaram ovulação exatamente no 14º dia do ciclo. Portanto, a janela fértil pode ocorrer mais cedo ou mais tarde no ciclo, diferindo muito do que se acreditava (de que a fase folicular do ciclo é fixa e dura 14 dias).

Frente a este estudo, o que se pode concluir é que o cálculo da janela fértil feminina continua impreciso. Sendo assim, os casais com dificuldade para ter filhos, que poderiam se beneficiar das relações sexuais durante o período fértil, não podem contar com a precisão desse método. Mas estes poderiam contornar essa situação e aumentar suas chances de concepção, mantendo duas a três relações por semana, durante cada ciclo.

Já os casais, que usam a abstinência sexual durante os dias férteis como método de contracepção, devem ficar atentos que este método muitas vezes não é efetivo. E que mesmo durante os períodos menstruais algumas mulheres já podem estar nos dias férteis.

 Fonte: Gestante