O que é:

O corrimento vaginal é um tipo de secreção que sai de dentro da vagina e pode ser um bom indicador da saúde genital da mulher. Quando normal possui consistência aquosa ou mucosa e de coloração branco leitoso, embora altere ligeiramente nas diversas fases do ciclo menstrual.

Uma infecção seja por bactérias, fungos ou outra condição promove corrimentos vaginais característicos, apresentando coceira, queimação, dor vulvar ou lesão vaginal, e coloração típicas que podem ajudar a identificar a causa da infecção, facilitando seu tratamento.

São muitos os factores causantes do corrimento vaginal:

  • Hábitos de higiene íntima;
  • Germes e bactérias;
  • Uso de roupas sintéticas;
  • Desodorizantes íntimos;
  • Papel higiénico, principalmente os perfumados;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Absorventes intra-vaginais tipo OB. Quando não são usados adequadamente são uma grande fonte de germes;
  • Areia da praia. A areia depositada no biquíni tem detritos orgânicos que entram em decomposição em contacto com as partes intimas e a mucosa provoca o prurido, secreção do corrimento vaginal;
  • O corrimento vaginal aumenta durante a gravidez, devido os factores hormonais próprios da gestação;
  • O uso de antibióticos por muito tempo pode desencadear um desequilíbrio na flora vaginal levando a paciente a apresentar corrimento;
  • Pessoas diabéticas podem apresenta um quadro de corrimento vaginal;
  • As mulheres que tomam corticóides e imunodepressores também estão propensas a apresentar corrimento vaginal;
  • Os corrimentos da puberdade devido a estimulação estrogênica própria da adolescência;

Enfim, são muitos os fatores e por isso você deve procurar um ginecologista para diagnosticar e tratar a paciente juntamente com seu parceiro caso tenha vida sexual ativa. O diagnóstico é feito pelo médico ginecologista por meio de perguntas para a paciente, exame ginecológico e, eventualmente, exames de papanicolau ou exames de laboratórios.

Tipos de corrimento

Alguns tipos de corrimento vaginal são:

Infecção causada por fungos (candidíase): corrimento vaginal espesso e caseoso, tende a aderir às paredes vaginais e é acompanhada de coceira e queimação na vulva e na vagina. Os sintomas podem piorar durante a semana que antecede a menstruação e e ocorre sobretudo em mulheres diabéticas, grávidas ou que estejam fazendo uso de antibióticos.

Infecção bacteriana (glamídias ou Gonococos):  secreção opaca, branca, cinza ou amarelada, fétida com cheiro de peixe.

Infecção por protozoário (trichomonas vaginalis): secreção de coloração branca, verde acinzentada ou amarelada que pode ser espumosa. A secreção geralmente ocorre logo após a menstruação e pode ter um odor desagradável. A coceira é intensa.

Câncer de vagina, do colo do útero ou do endométrio: Secreção aquosa, com sangue.

Infecção viral (vírus HPV e Herpesvirus): Prurido ou desconforto vulvar acompanhado de sangramento vaginal após a relação sexual.

Ambos os parceiros sexuais devem ser tratados ao mesmo tempo na maioria das situações para evitar a reinfecção.

O corrimento vaginal é um dos mais comuns e mais irritantes problemas das mulheres, 80% das pacientes que procuram um atendimento em ginecologia com estes sintomas. São muitos os fatores causantes do corrimento vaginal:

As principais causas do corrimento vaginal

– Hábitos de higiene íntima.

– Germes e bactérias.

– Uso de roupas sintéticas.

– Desodorizantes íntimos.

– Papel higiénico, principalmente os perfumados.

– Doenças sexualmente transmissíveis.

– Absorventes intravaginais tipo OB. Quando não são usados adequadamente são uma grande fonte de germes.

– Areia da praia. A areia depositada no biquíni tem detritos orgânicos que entram em decomposição em contato com as partes intimas e a mucosa provoca o prurido, secreção do corrimento vaginal.

– O corrimento vaginal aumenta durante a gravidez, devido os fatores hormonais próprios da gestação.

– O uso de antibióticos por muito tempo pode desencadear um desequilíbrio na flora vaginal levando a paciente a apresentar corrimento.

– A paciente diabética pode apresenta um quadro de corrimento vaginal.

– As mulheres que tomam corticóides e imunodepressores também estão propensas a apresentar corrimento vaginal.

– Os corrimentos da puberdade devido a estimulação estrogênica própria da adolescência.

Enfim, são muitos os fatores e por isso você deve procurar um ginecologista para diagnosticar e tratar a paciente juntamente com seu parceiro caso tenha vida sexual ativa. O diagnóstico é feito pelo médico ginecologista por meio de perguntas para a paciente, exame ginecológico e, eventualmente, exames de papanicolau ou exames de laboratórios.