Existe um teste para o VIH?

Sim. No entanto, o que é vulgarmente chamado um teste ao VIH é, na realidade um teste aos anticorpos contra o VIH.

O VIH, como já dissemos, é muito pequeno que é capaz de se esconder e mudar de aparência. Existem testes capazes de o detectar directamente no sangue das pessoas, mas são complicados, morosos e caros. É muito mais rápido e barato testar a presença de anticorpos contra o vírus. Isto faz sentido. Se tiveres sido infectado com o VIH, o teu sistema imunitário começará a produzir anticorpos contra ele que estarão presentes por todo o teu corpo. Os anticorpos não se escondem e são fáceis de identificar.

O teste é confidencial?

Sim. Completamente. Ninguém saberá que és seropositivo/a a menos que precise de saber.

Tenho de pagar para fazer o teste?

Não (na rede de C.A.D. existentes em todo o país).

O teste é fiável?

Muito. A tua amostra de sangue é testada por duas vezes, usando de cada vez um teste diferente. Cada um destes tem uma percentagem de fiabilidade acima de 98% e os dois em conjunto não deixam quase nenhuma margem para erro.

Ouvi dizer que não vale a pena fazer o teste logo após ter tido o contacto de risco…

É verdade. Demora um certo tempo até que o sistema imunitário comece a produzir os anticorpos contra o vírus. Pode levar até 3 meses após a infecção para que o corpo produza os anticorpos. Por isso sim, na realidade não vale a pena fazer o teste logo após o contacto de risco.

Em que deverei pensar antes de fazer o teste?

A coisa mais importante em que deverás pensar será em como um resultado positivo te poderá afectar. Poderás também considerar o seguinte:

Se me sentir bem tenho de saber se sou positivo/a?

Claro. Se tiveres sido infectado/a, quanto mais cedo souberes mais cedo poderás começar a fazer qualquer coisa acerca disso.

Pode acontecer que tenhas de começar a tomar medicação imediatamente. Uma em cada cinco pessoas que morreram de SIDA entre 1998 e 2000 morreram em menos de três meses após terem sido diagnosticadas positivas. Por outras palavras, tinham adiado tanto fazer o teste que na altura em que descobriram que eram positivas era já demasiado tarde.

Os seus sistemas imunitários estavam já tão danificados que a medicação foi incapaz de as ajudar. Mesmo que tenhas adiado fazer o teste, o melhor é não adiares mais.

Mas as pessoas seropositivas sofrem de preconceito e discriminação, não sofrem?

Infelizmente sim. Mas isso não é inevitável e pode ser combatido. Dizer às pessoas – a tua mãe, o/a teu/tua namorado/a, o teu melhor amigo, os teus colegas de trabalho – pode ser penoso, assustador e perturbador para todos os envolvidos. Mas a maior parte das pessoas descobrem que se sentarem e explicarem o que ser seropositivo significa, os seus amigos mais queridos e próximos oferecerão o seu apoio e a sua compreensão.

De qualquer forma, tu podes controlar a quem dizes e como dizes. As únicas pessoas, para além de ti, que saberão que és seropositivo/a são aquelas que quiseres que saibam. Os médicos, enfermeiras e outros profissionais de saúde que te tratarem estão vinculados a um código profissional de confidencialidade. Não dirão a ninguém.

Não tens de dizer ao teu patrão que és seropositivo/a. Mesmo que o queiras fazer, por a tua saúde estar tão afectada que começa a interferir com a capacidade de realizares o teu trabalho, a Lei oferece-te alguma protecção.

Certas companhias de seguros poderão perguntar-te se és positivo/a aquando da realização de um seguro ou de um empréstimo para compra de casa, mas és capaz de poder evitar isto. Muitos consultores financeiros independentes ajudar-te-ão a realizar um seguro de vida ou a obter um empréstimo sem a necessidade de responderes a perguntas relacionadas com o VIH.

Depende também de ti a decisão de dizeres aos teus amigos, família e amantes. Se fazes sempre sexo com preservativo, então não precisas de dizer necessariamente a cada novo/a parceiro/a sexual novo que és seropositivo/a. A escolha é tua.

Não consigo aguentar o stress de esperar pelo resultado de um teste

Isso é compreensível. Mas certas clínicas oferecem a possibilidade de fazeres um teste cujo resultado é obtido no mesmo dia, o que significa que só tens de esperar as poucas horas entre fazer o teste e receber o resultado.

Se é pouco provável que eu seja positivo/a, deverei desperdiçar o meu tempo a fazer o teste?

De um modo geral, sim. E não é um desperdício de tempo. Se estás preocupado que haja uma hipótese, mesmo ínfima, de teres sido infectado/a com o VIH, então um resultado negativo descansará a tua mente. E se acontecer que o resultado seja positivo, então pelo menos saberás – e poderás começar a lidar com algo real em vez de com um medo imaginário.

Não te esqueças: podes levar um amigo contigo para fazeres o teste. Isso pode tornar a experiência menos stressante.

O que é que envolve o teste do VIH?

Tudo o que tens de fazer é fornecer uma pequena amostra de sangue. Uma enfermeira utilizará uma agulha hipodérmica para retirar algum sangue do teu braço. Se és medricas – e muitos de nós somos, por isso não tens razões para te sentires envergonhado/a – não te preocupes. Está tudo acabado num minuto, nem sequer dói (é apenas uma pequena picada) e as enfermeiras estão habituadas a que as pessoas se sintam um bocadinho apreensivas e são especialistas em fazerem-te sentir confortável.

Se o teste for negativo isso significa que não fui infectado/a com o VIH?

Sim, desde que não tenhas tido relações sexuais não protegidas com alguém infectado nos 3 meses antes da realização do teste.

Como já dissemos, o teste detecta anticorpos contra o VIH no teu sangue. Pode levar até 3 meses após a infecção para que o teu corpo comece a produzir anticorpos contra o vírus. Este período de 3 meses é conhecido como “período de janela” (podes também ouvir o termo seroconversão – alguém que tenha sofrido seroconversão começou a produzir anticorpos contra o VIH).

Muito embora a maioria das pessoas comece a produzir anticorpos contra o VIH após semanas da infecção, a maior parte das clínicas sugerirá que não faças o teste durante o período de janela e que voltes para realizar o teste numa data posterior. Isto tem com finalidade receberes um resultado negativo com a certeza absoluta de que não apresentas o vírus.

Se o resultado do teste for negativo, isso significa que nunca apanharei VIH?

Não. Se o resultado do teu teste for negativo, isso não significa que não possas vir a ser infectado/a no futuro. Um resultado negativo não significa que sejas imune ao VIH.

Se o resultado do meu teste for positivo, isso significa que o/a meu/minha namorado/a também tem o vírus?

Não necessariamente. Depende de vários factores, incluindo a altura em que foste infectado/a e se tu e o teu/tua namorado/a têm tido relações sexuais protegidas ou não.

Uma vez que é impossível saber de qualquer modo, é uma boa ideia que ele/a faça também o teste. Mesmo que ele/a receba também um resultado positivo, isso não significa necessariamente que o vírus tenha passado de ti para ele/a. Isto pode ser um campo minado em termos emocionais, por isso certifiquem-se de que recebem bastante aconselhamento quer como indivíduos, quer como casal.

fonte: http://portugalgay.pt/dst/sida_faq.asp?id=3